logo marca Vimaq R

Manejo da cama no Compost Barn - Estudo de Caso

Qual o melhor equipamento para manejo de cama Compost barn?

Neste vídeo você acompanha um estudo de caso comparativo entre utilizar um Revolvedor de Compast Barn ou um Arado Subsolador para fazer a manutenção da cama do gado leiteiro. 

Sobre o Revolvedor de Compost Barn

O Revolvedor de Compost Barn da Vimaq é um equipamento indispensável para granjas e fazendas que aderiram ao sistema Compost Barn de criação de gado de leite. O equipamento deve ser utilizado duas vezes ao dia para revolver a cama dos animais a uma profundidade de 25 a 30cm. Com movimentos circulares ou direções variadas há maior aeração e quebra de torrões garante maior conforto e melhoria na produção leiteira.

revolvedor de composto

DIMENSÕES 

Revolvedor de Compost Barn 2,20-2,40 ou 2,60 mt com ou sem raspador.

Solicite orçamento e condições de FRETE GRÁTIS

Manejo da cama no Compost Barn: como melhorar a produção de leite

No artigo anterior , destacamos os benefícios e vantagens do Compost Barn na hora de melhorar a produção de leite. Popular em países como Estados Unidos e Israel, a tecnologia, pouco a pouco, tem ganhado espaço também aqui no Brasil.

Mas, há dúvidas. E elas ocorrem justamente por se tratar de um sistema que ainda não está totalmente difuminado no país. Entre as principais questões levantadas, está a dúvida sobre como realizar o manejo da cama no Compost Barn.

Entendendo o Compost Barn

Antes de entrarmos especificamente na questão do manejo da cama no Compost Barn, vamos explicar melhor o sistema. Em português, Compost Barn significa “estábulo (ou celeiro) de compostagem”. Isso se dá justamente pelo modelo de criação do gado leiteiro.

Se trata de uma tecnologia na qual há um confinamento do gado leiteiro em um local reduzido, geralmente, um galpão. O espaço conta com uma cama especial, a qual é preparada com a utilização de maravalha ou serragem. 

Sobre ela, os animais podem descansar por períodos mais longos. Além disso, o Compost Barn, que é voltado ao bem-estar da vaca de leite, contribui para diminuir a proliferação de doença, o que impacta positivamente na redução de custos. E, qual o resultado disso?

O resultado é um aumento significativo da produção, principalmente quando há a comparação com outros modelos de manejo, como a pastagem ou o free stall.

Observação: segundo especialistas, é importante que o local tenha um espaço entre 10 e 12 m² por animal.

Compost Barn ajuda a melhorar a produção de leite

Como o animal fica mais tempo descansando, e menos exposto a doenças, há um aumento na produção de leite, assim como uma melhoria da qualidade. Veja alguns resultados destacados por produtores:

  • Compost Barn: 25 litros de leite por vaca ao dia

  • Free Stall: 22 litros de leite por vaca ao dia

  • Pastagem: 20 litros de leite por vaca a dia

Especialistas do setor explicam que o confinamento faz com que o gado leiteiro descanse a maior parte do tempo, o que gera um menor gasto calórico, assim como gera um menor estresse do animal. Com isso, a produção individual aumenta.

Mas não é só isso. Pesquisas ainda demonstram que o preço pago pelo litro de leite produzido no Compost Barn é mais alto. O fato ocorre devido ao aumento da qualidade do produto, fator que é recompensado pela indústria.

O manejo da cama no Compost Barn

Agora que você sabe um pouco mais sobre o Compost Barn, é hora de entender como ocorre no manejo da cama, algo fundamental para garantir o bem-estar do gado de leite.

Como dito antes, a cama no Compost Barn é formada por maravalha ou serragem. Elas são feitas dentro de galpões retangulares, um sistema que lembra muito o aviário. Ventiladores são utilizados para manter o solo sempre seco.

O espaço ainda conta com um corredor de alimentação, o qual é separado da área comum por um beiral. Tal ação ajuda a evitar o aumento da umidade da cama.

A viragem da cama

O manejo da cama no Compost Barn ocorre 2 vezes ao dia, normalmente quando o gado leiteiro é levado para a sala de ordenha. 

Com espaço livre, é utilizado um subsolador com rotativa para virar e aerar a cama, eliminando os torrões e mantendo o solo solto e macio. Isso faz com que o esterco seja incorporado aos resíduos secos do solo. Desse modo, a superfície se mantém seca, garantindo o conforto do animal, assim como reduzindo os riscos de contaminação.

Além disso, afirmam especialistas, é importante fazer a medição constante da temperatura na hora de realizar o manejo da cama no Compost Barn. Para isso, um termômetro é inserido no solo (entre 25 e 40 centímetros de profundidade), a qual deve estar entre 45 e 60 graus Celsius. A temperatura alta é um indicador de que a compostagem está ocorrendo de forma certa.

Observação: muitos produtores optam por fazer uma reposição de 10 a 15 cm sempre que a umidade da cama atinja os 60%

De quanto em quanto tempo a cama precisa ser trocada?

Isso depende muito do material utilizado, do número de vezes que a cama é virada e também dos equipamentos empregados. 

Conforme especialistas, a serragem demora mais tempo para se decompor, ou seja, é um dos melhores materiais. Em relação ao manejo, é importante que seja realizado pelo menos 2 vezes ao dia. Se possível, 3. 

Além do mais, o uso de ventiladores é fundamental para manter a cama seca, assim como para garantir a compostagem do esterco.

Ou seja, se o manejo da cama no Compost Barn é realizado de acordo com as necessidades, dizem especialistas, dura até mesmo acima de 1 ano.

Falta de ventilação, um erro comum no manejo da cama no Compost Barn

→ Com a ideia de reduzir custos, alguns agricultores decidem ligar os ventiladores somente durante os momentos mais quentes do dia. Outros, decidem simplesmente por não instalá-los. Para profissionais, tal atitude é um erro.

→ A falta de ventilação constante contribui para o aumento da umidade da cama, o que, por sua vez, pode favorecer o crescimento dos casos de mastite. Como? 

→ A cama úmida faz com que aumente a tendência de resíduos ficarem grudados nos tetos da vaca de leite, principalmente nos orifícios, gerando um acúmulo de bactérias.

→ A falta de ventilação ainda contribui para que a compostagem não ocorra de maneira correta, o que exige uma troca mais constante da cama no Compost Barn.

→ Resumindo,  desligar ou não usar ventiladores no manejo da cama no Compost Barn pode até gerar alguma economia com energia. Porém, pode acarretar em gastos com animais doentes, assim como com baixa durabilidade da cama.

Faça uma consultoria gratúita

fale agora com um especialista 

Como o Compost Barn ajuda a melhorar a produção de leite

O correto manejo da cama no Compost Barn é fundamental para que se possam aproveitar os benefícios que o sistema oferece. A tecnologia, além de reduzir custos com os animais, ainda oferece uma série de vantagens na hora de melhorar a produção de leite:

  • Longevidade das vacas: como a exigência física da vaca de leite é menor no Compost Barn, é comum que os animais vivam mais. Dessa forma, o tempo de produção de cada vaca também aumenta;

  • Oportunidade para todos: o sistema pode ser introduzido inclusive por produtores que têm espaço reduzido na propriedade, pois não requer grandes instalações;

  • Facilidade operacional: como o gado de leite fica confinado e perto da sala de ordenha, há uma melhoria considerável no trabalho diário.

  • Vacas limpas e propriedades sem barro: o Compost Barn também elimina quase que totalmente com o problema de barro nas propriedades, principalmente em períodos de chuva. Desse modo, além de facilitar o trabalho, ainda garante a limpeza dos animais;   

 
 
 

Acesse outros materias sobre Compost Barn

vídeos, imagens e estudos de caso

logo marca Vimaq R